Por Henrique Ramos. Geógrafo pela USP

Aparece em destaque na fotografia o afloramento do maciço do Itatiaia, onde ocorrem essas famosas formações que, vistas ao longe, lembram agulhas negras verticais. Eis a origem do nome desse pico. É uma formação muito caracteristica de um clima tropical ou subtropical onde as precitações elevadas são constantes. Nesses ambientes a água interage com a vegetação rasteira presente e forma o ácido húmico que dissolve os minerais da rocha e entalha-a suavemente, tal como pode ser constatado na imagem. No caso, o intemperismo agiu sobre uma nefelina sienito.

Por Henrique ramos. Geógrafo pela USP

Aspecto geral da paisagem do Itatiaia. No primeiro plano está a rocha do maciço, um sienito, que apresenta sua granulação grosseira e as duas mais destacadas feições intempéricas locais: na parte inferior da imagem estão as marmitas, tipicamente arredondadas em função da presença do ácido húmico estagnado que se forma nos liquens e, no canto direito, as caneluras formadas pelo escoamento superfícial de água ácida. Ao fundo, o relevo movimentado da Serra da Mantiqueira exibe seus contornos mais destacadas, com vertentes de acentuada inclinação e divisores de água muito bem delimitados. À esquerda do pé do observador, se pode notar um extenso campo de matacões, espalhados por um contínuo de inclinação mais suave. Observa-se à vista a ausência de vegetação exuberante, isso porque nessa altitude surgem os campos alto-montanos, constituidos sobretudo de touceiras e musgo. Apenas esporadicamente, onde o solo e a disponibilidade de água permitem, surgem uma árvores, em geral nos setores côncavos do relevo.

Contribuição texto e imagem: Geógrafo Henrique Ramos (USP)